Prevencao Avc

AVC: Fatores de risco que você pode controlar.

Dados da Organização Mundial da Saúde apontam que mais de 5 milhões de pessoas morrem, anualmente, em decorrência do AVC (acidente vascular cerebral), popularmente conhecido como derrame cerebral. No Brasil, segundo dados do Ministério da Saúde, o número de casos é de aproximadamente 100 mil.

As sequelas ocasionadas por um AVC são muitas e incluem: paralisias, déficit sensitivo, déficit de memória e alterações comportamentais. Porém, diversas atitudes rotineiras podem ajudar a reduzir a possibilidade de sofrer um derrame cerebral.

Principais Sintomas:

Entre os principais sintomas de acidente vascular cerebral estão as manifestações súbitas de:

– Dormência ou fraqueza da face, braços ou pernas (especialmente em um lado do corpo);

– Confusão, dificuldade para falar ou entender a fala;

– Dificuldade para enxergar em um ou ambos os olhos;

– Dificuldade para andar;

– Tontura, perda de equilíbrio ou coordenação;

– Dor de cabeça, sem causa conhecida.

Fatores de Risco:

Um fator de risco é algo que aumenta a probabilidade de surgir uma doença ou uma complicação. No caso do AVC, há condições que não são possíveis controlar como o avanço da idade (a doença é mais comum após os 40 anos) e características pessoais (pessoas do sexo masculino e pessoas negras exibem maior tendência ao desenvolvimento de AVC). Porém outros fatores de risco podem ser regulados para ajudar a vivenciar dias mais saudáveis.

Atitudes para Prevenir o AVC:

– Controle do colesterol, diabetes e a pressão arterial através de dieta, exercícios físicos regulares e, no caso de recomendação médica, medicamentos;

– Pratique exercícios físicos regularmente (pelo menos 30 minutos ao dia);

– Procure auxílio para parar de fumar, não use drogas e evite a ingestão excessiva de bebidas alcoólicas;

– Mantenha um peso saudável e escolha uma dieta rica em frutas, verduras e grãos integrais;

– Opte por uma alimentação pouco gordurosa, como frango, peixe, feijão e legumes;

– Evite sódio e gorduras encontradas em alimentos fritos e alimentos processados ou ultra processados;

– Escolha produtos lácteos com baixo teor de gordura e leia os rótulos dos alimentos que consome;

– Fique longe de gorduras saturadas e qualquer opção de gorduras hidrogenadas ou parcialmente hidrogenadas.

Procure sempre a orientação de um especialista e viva bem!