Noticia 2016 12 01

Coração saudável: fique de olho no colesterol

coracao
Apesar de ser visto como vilão, o colesterol é um tipo de gordura que auxilia no bom funcionamento do organismo, desempenhando funções essenciais como a produção de hormônios, ácidos biliares (produzidos pelo fígado) e vitamina D. Mas, em excesso, torna-se perigoso e pode causar doenças cardiovasculares como: angina, infarto e acidente vascular cerebral (AVC). Portanto, todo importante é prevenir!

Você já deve ter ouvido falar que existem dois tipos de colesterol, o HDL, chamado de “bom”, e o LDL, considerado “ruim”. A grande preocupação é que, na maioria das vezes, o indivíduo não percebe a doença, o que facilita a sua progressão. A única maneira de descobrir é através de um exame de sangue capaz de verificar os níveis totais, suas frações e triglicerídeos.
Além de não apresentar sinais, a alteração nos níveis de colesterol está diretamente ligada ao estilo de vida que se leva. Pessoas obesas, com histórico de infarto na família, sedentárias ou com uma alimentação rica em gorduras saturadas e gorduras trans, possuem mais chances de ter colesterol alto. Pessoas com níveis elevados são mais suscetíveis a determinadas doenças.
Dentre todos os fatores que podem contribuir para o aumento do colesterol, um dos mais determinantes é a alimentação. A carne vermelha, por exemplo, mesmo que aparentemente magra, possui moléculas de colesterol entre suas fibras. Por isso, seu consumo deve ser controlado.

Entenda a diferença entre LDL e HDL:

Existem dois tipos principais de colesterol: o “bom” (HDL) e o “ruim” (LDL).

HDL é a sigla de “High Density Lipoproteins”, que significa lipoproteínas de alta densidade. Ele é capaz de absorver os cristais de colesterol que são depositados nas artérias, removendo-os e transportando-os de volta ao fígado para ser eliminado. Por isso, o HDL é chamado de “bom colesterol”. O indivíduo que possui níveis elevados deste indicador tem menores chances de apresentar doenças do coração.

LDL é a sigla de “Low Density Lipoproteins”, que significa lipoproteínas de baixa densidade. Ele transporta o colesterol do fígado até as células dos tecidos e favorece o seu acúmulo nas paredes internas das artérias, diminuindo o fluxo do sangue. O LDL é considerado o “colesterol ruim”, estando diretamente relacionado a doenças cardiovasculares.

A melhor atitude é a prevenção:

Além de uma alimentação equilibrada, existem outras maneiras de evitar o aumento do colesterol e, até mesmo, diminuí-lo. Confira:

– Faça exercícios físicos com orientação profissional por, pelo menos, 30 minutos, de três a cinco vezes por semana. A atividade física pode ajudar a emagrecer, diminuindo o risco de infarto e os níveis de colesterol no sangue;

– Evite o estresse: uma vida mais tranquila também diminui as chances de infarto e auxilia na redução do colesterol. Procure transformar suas atividades diárias em algo que lhe dê satisfação;

– Mantenha uma dieta com baixos níveis de gordura. Seja rigoroso no controle da alimentação. Todos os alimentos de origem animal têm colesterol. Portanto, o ideal é dar preferência a alimentos de origem vegetal: frutas, verduras, legumes e grãos. Os cuidados com a alimentação devem ser redobrados por pessoas com diabetes, pois estas apresentam três a quatro vezes mais risco de sofrer doenças cardiovasculares quando comparadas a pessoas não diabéticas.

– Consulte seu médico para uma avaliação periódica e um tratamento adequado. Se com todos estes cuidados a dosagem do colesterol estiver elevada, há ainda o recurso de medicamentos para controle da doença.

Fonte: Blog Unimed.

Procure sempre a orientação de um especialista e viva bem!