Danca Idosos

Dança na terceira idade: Benefício físico e emocional.

Com a chegada da terceira idade, corpo e mente passam por grandes mudanças, dando origem a algumas limitações físicas. Não é fácil adaptar-se ao novo estilo de vida, por isso algumas práticas auxiliam nesse processo, tornando a vida mais agradável. A dança tem assumido um papel importante na vida dos idosos, ganhando muitos adeptos e melhorando sensivelmente a sua qualidade de vida.

A terceira idade exige cuidados específicos.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, a terceira idade chega a partir dos 65 anos. Com essa idade, surgem algumas limitações que podem colocar em risco a qualidade de vida do indivíduo. Se não houver adequação de hábitos físicos e alimentares, várias doenças podem surgir nesse período, como: hipertensão, obesidade e osteoporose, entre outras. Já as atividades físicas – principalmente as praticadas em grupos – surgem como um dos principais benefícios à saúde física e mental.

Antigamente, imaginava-se que apenas exercícios como a hidroginástica e a caminhada deveriam ser recomendados aos idosos, por apresentarem impactos físicos limitados e fluxo moderado. Hoje, no entanto, a gama de possibilidades aumentou e a dança cumpre um papel fundamental para o aumento da autoestima dessas pessoas.

Um dos principais diferenciais da dança é o estímulo ao convívio social, algo fundamental para quem chega à terceira idade. Em alguns casos, o idoso pode sentir-se solitário ou abandonado, já que passa mais tempo em casa e não mantém a rotina atribulada de outros tempos. E uma das principais consequências acaba sendo a depressão.

Nesse sentido, a dança surge como um forte estímulo físico e emocional, promovendo a integração de várias pessoas que, afinal, podem ter muito em comum e criar assim novos laços de amizade, gerando um novo ciclo de independência e autonomia na vida dos idosos.

Principais benefícios da dança para os idosos:

– Bem-estar físico e emocional;

– Exercício de vários grupos musculares;

– Ganhos de agilidade e na coordenação motora;

– Melhorias à atividade cardiorrespiratória;

– Estímulo à atenção e à memória;

– Incentivo à concentração e melhora no equilíbrio;

– Ajuda no combate à depressão e melhora a autoestima.

Procure sempre a orientação de um especialista e viva bem!