Noticia 2017 05 2

Febre: qual a hora de procurar um médico?

Passou dos 37.8ºC de temperatura e a preocupação começa. Conforme o termômetro vai subindo, aumenta também o estado de estresse dos pais. A febre é o sintoma que mais leva os pais a procurar atendimento para seus filhos. Pode ser um forte indício de que há algo errado no organismo, como uma infecção causada por vírus ou bactéria, por exemplo. Mas, como identificar o momento de levá-los ao médico?

Febre não é doença, mas um sinal de alerta. Significa que o organismo está reagindo a uma situação diferente. Pode ser contra um vírus, bactéria, um dentinho que está nascendo ou até mesmo um estado emocional. Quanto menor a criança, maiores as chances de ter febre porque ainda está na fase de adquirir imunidade e deixar os pais ainda mais preocupados.

O importante é não se desesperar com a febre dos seus filhos. Entendê-la é o primeiro passo para se tomar uma atitude mais adequada. Tenha sempre um termômetro em casa, observe bem o comportamento da criança e procure assistência médica nos seguintes casos:

– Temperatura acima de 37,8ºC em bebês com menos de três meses de idade;

– Febre maior que 39,4°C em crianças até os três anos de idade;

– Febre por mais de 24 horas em crianças até dois anos de idade;

– Febre por mais de três dias em crianças acima de dois anos;

– Temperatura superior a 39ºC em bebês com mais de três meses ou se a febre vier acompanhada de choro persistente e irritabilidade extrema;

– Respiração rápida (mais de 50 respirações por minuto em bebês de até um ano; e mais de 40 respirações por minuto em crianças entre um e cinco anos);

– Rigidez na nuca (o queixo não encosta no peito) ou fontanela (moleira) tensa e abaulada;

– Febre que dura mais de um dia, acompanhada de dor de cabeça, irritabilidade, sonolência excessiva, dificuldade para falar, apatia (sintomas sugestivos de meningite) em crianças de até dois anos;

– Febre em pessoas de qualquer idade acompanhada dos seguintes sintomas: dor de cabeça forte e persistente; sensibilidade excessiva à luz; dor de garganta que impeça a deglutição; vermelhidão na pele; nuca enrijecida e dolorosa ao curvar a cabeça; confusão mental; vômitos repetitivos; dificuldade para respirar ou dor no peito; irritabilidade ou apatia ou sonolência; dores abdominais; dor ao urinar ou micção frequente e em pequena quantidade.

  • Atenção: um banho rápido em água morna pode ajudar a baixar a temperatura. Contudo, se a pessoa tiver muitos tremores durante o banho, interrompa-o imediatamente. Banho frio, por sua vez, pode ocasionar piora do quadro clínico. Adicionar álcool na água do banho também não é indicado, pois além de ineficaz, a criança pode inalar a substância. Portanto, em caso de febre alta que não passa, a melhor solução é ir ao pronto-socorro mais próximo.

Procure sempre a orientação de um especialista e viva bem!