Noticia 2017 05 3

Varizes: fatores de risco e prevenção

As varizes são veias dilatadas, tortuosas e de calibre aumentado, que podem aparecer em diversas regiões do corpo. O mais comum é ocorrerem nos membros inferiores. Consideradas por muitos apenas um problema estético, na verdade, elas indicam que algo não vai bem na circulação do sangue venoso pelo organismo.

Elas constituem um problema crônico que pode surgir em qualquer idade. Por isso, devemos estar alertas diante de possíveis manifestações iniciais da doença para procurar um tratamento adequado.

 

  • Fatores de Risco:

– Predisposição genética: pessoas com história familiar da doença devem preocupar-se com a prevenção dos problemas circulatórios desse cedo e adotar medidas que ajudem, pelo menos, a retardar o processo;

Idade: à medida que as pessoas envelhecem, as veias vão perdendo a elasticidade e o sistema de válvulas enfraquece, dificultando o retorno do sangue venoso para o coração e os pulmões e favorecendo o aparecimento das deformações características das varizes;

Sexo feminino: as mulheres estão mais sujeitas a desenvolver varizes. Alterações hormonais durante a gravidez, menstruação e menopausa, assim como o uso de pílulas anticoncepcionais e a reposição hormonal são fatores de risco (os hormônios femininos, estrogênio e progesterona agem sobre a parede dos vasos, diminuindo sua resistência e comprometendo o funcionamento das válvulas que regulam a passagem do sangue).

Prevenir o aparecimento de varizes requer mudanças permanentes no estilo de vida. E sempre vale a pena insistir. O fato de já ter retirado uma veia doente não impede que as lesões apareçam em outra veia dos membros inferiores. Por isso, a recomendação é não desconsiderar os primeiros sinais da doença. Embora, no geral, as varizes não representem um problema grave de saúde, alguns cuidados são indispensáveis para prevenir complicações.

 

  • Prevenção das Varizes:

Sedentarismo: a atividade física é fundamental na prevenção e tratamento das varizes. Praticar exercícios estimula o sistema circulatório como um todo e facilita o retorno do sangue para o coração;

– Imobilidade: caso você se veja obrigado a permanecer sentado ou em pé por muito tempo, e na mesma posição, qualquer exercício que facilite a contração e relaxamento da panturrilha ajuda a bombear o sangue de volta para o coração.

– Obesidade: a alimentação equilibrada e a prática regular de exercícios físicos são medidas fundamentais para diminuir o risco que o excesso de peso representa;

– Tabagismo: as substâncias que entram na composição do cigarro deixam o sangue mais viscoso, dificultando a circulação e favorecendo seu acúmulo nas veias das pernas. Largar o cigarro é uma medida de que não só as pernas, mas todo o organismo se beneficia;

– Salto alto: é um tema controverso. Alguns estudiosos do assunto garantem que não oferecem risco maior. O fato é que o uso rotineiro de saltos muito altos e finos pode manter a musculatura da perna por muito tempo contraída, obstáculo que torna mais difícil o retorno do sangue venoso e permite que parte dele fique retida nas veias das pernas e dos pés.

Procure sempre a orientação de um especialista e viva bem!